Carnaval


A não ser que, num eventual regresso à “Madeira Velha”, o obscurantismo ordene “autos de fé” em que os livros serão procurados e queimados, com aquela gente do grupo Blandy e seus asseclas, a vestir os trajes da “santa” inquisição...Por isso mesmo, o Leitor tem outra modalidade para adquirir ou possuir os livros em questão. Encontram-se vertidos em “pens”, para uso informático. Entretanto, os exemplares têm sido oferecidos fora da Região, pelo que estarão defendidos de qualquer procedimento pidesco.

Alberto João Jardim in Jornal da Madeira.

Nota: Eu sei que é Carnaval, mas será preciso levar a quadra tão a sério?